Conflito Timor Leste X Indonésia

O conflito de Timor, iniciado em 1975, até recentemente estava esquecido. Durante séculos o território foi uma colônia portuguesa pobre, utilizada pelo regime salazarista para confinar dissidentes políticos. A vizinha Indonésia, por sua vez, era, desde 1965, uma ditadura militar implantada por um golpe sangrento (700 mil comunistas mortos), com apoio Ocidental. Dez anos depois, Portugal abandonou Timor, onde eclodiu uma guerra civil entre facções armadas. Na iminência de uma vitória da esquerdista FRETILIN (Frente Timorense de Libertação Nacional), a Indonésia invadiu e anexou a ilha, com apoio das facções conservadoras locais e das potências do Ocidente.

Durante dez anos os timorenses foram vítimas de uma repressão brutal, em meio à omissão portuguesa e ao silêncio internacional. Desde 1983, a Assembléia Geral da ONU não conseguiu mais aprovar moções de condenação à ocupação, e o esquecimento se abateu sobre a questão timorense. A ditadura indonésia representava uma aliada especial dos EUA para a contenção dos movimentos de libertação nacional no sudeste asiático. No plano interno, o Timor foi integrado ao acelerado crescimento econômico da Indonésia, o que, aliado à repressão militar, reduziu drasticamente a ação do movimento de resistência armada.

 Contudo, nos anos 90 o quadro alterou-se drasticamente. Com o fim da Guerra Fria, os EUA reviram sua estratégia em relação a alguns aliados preferenciais.

 

Então veio a crise financeira e, Suharto caiu, e foi substituído pelo vice-presidente Habibie, Com a economia derrubada, a eclosão de protestos políticos, de rebeliões separatistas e massacres de minorias étnico-religiosas em algumas das milhares de ilhas que compõem este país predominantemente muçulmano, realizaram-se eleições, que foram vencidas pela oposição.

A partir desse momento, a Indonésia sofreu pressões de seus antigos aliados que “descobriram”, depois de 30 anos, que o regime de Suharto era corrupto, autoritário, explorador e sanguinário. Com apoio internacional, uma oposição liberal e cosmopolita manifestou-se abertamente, mas o exército indonésio manteve o controle da situação. Paralelamente, a questão do Timor era resgatada, com campanhas internacionais, Prêmio Nobel para Ramos Horta e reaparecimento em cena de Portugal, agora como membro da União Européia. Em Timor, os protestos abertos e a repressão ressurgiram com intensidade. Mas o regime indonésio resistiu.

6 Respostas to “Conflito Timor Leste X Indonésia”

  1. brunete Says:

    meu deusnlsdfnlfnaslknf
    q linod

  2. saimeen Says:

    Essa é uma situação complicada, não podemos exigir que ONU interfira em uma guerra, nós temos que esperar diplomacia.
    Eu acho um absurdo que líderes de países ainda adotam políticas militaristas, opressoras e ditadura. Não percebem que isso não é algo produtivo, além desse fator é algo desumano.

  3. joão bosco Says:

    O nosso criador está dando a resposta à Indonézia através da natureza,para as atrocidades cometidas.

  4. M.C Says:

    irado

  5. thiago Says:

    adorei esta reportagem
    pois nós brasileiros devemos saber do que acontece
    també fora do brasil
    abraços aos leitores….

  6. larissa barbosa Says:

    nossa,fiquei super impressionada

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: